Cruz Vermelha Brasileira oferece apoio à Defesa Civil Municipal de Porto Velho, em Rondônia.

O Coordenador da Defesa Civil Municipal, Coronel José Pimentel, reuniu-se na manhã de terça-feira (15) com uma equipe da Cruz Vermelha Nacional (CVN), que se apresentou para cooperar com os serviços relativos à fase de resposta, etapa atual do estado de calamidade pública decretado no município.

Segundo André Araújo, chefe nacional do setor de Gestão de Riscos e Desastres da CVN, uma equipe nacional foi enviada para avaliar de perto as circunstâncias da cheia do rio Madeira em função da representatividade local da instituição não ter apresentado a resposta técnica esperada. “Quando acontece isso, a CVN envia uma equipe para apoiar o município. De acordo com o nosso estatuto, a Cruz Vermelha no Brasil deve auxiliar as Forças Armadas, os serviços militares de saúde e os órgãos públicos que atuam em catástrofes, calamidades e acidentes. Assim, nosso objetivo é apoiar aqui o trabalho da Defesa Civil Municipal, nesta etapa de repostas”, explicou.

André informou sobre as fases dos serviços que serão realizados pela equipe nacional em Porto Velho. Inicia-se pela avaliação das emergências para a geração de documentação que permita as ações internas da CVN, e também, a expedição de solicitação de recursos que possam ajudar a suprir necessidades da população e dos serviços de respostas realizados pelo município. Outra etapa acontece com a formação de uma equipe de voluntários para atuar em nome da Cruz Vermelha junto à Defesa Civil Municipal.

Essa equipe ofertará a mão de obra de apoio diário para distribuições de alimentos, assistências às famílias e diversos outros serviços básicos. Para a qualificação desse pessoal será realizada, na quarta e na quinta-feira desta semana, respectivamente dias 16 e 17, uma oficina de qualificação denominada de Noções Básicas Práticas (NBP). A última etapa, que segundo o agente da CVN representa a mais complexa e compreende a um período de 1 a 5 anos, pelo menos, é a da reconstrução, quando as famílias precisam retornar às suas casas e as equipes de trabalho passam a acompanhar todas as dificuldades peculiares desses processos.

O coordenador municipal da Defesa Civil afirmou que a ausência da Cruz Vermelha para auxiliar nas primeiras etapas de socorro às vítimas da enchente foi muito sentida, de forma que aprecia muito a revitalização pela qual deve passar agora a instituição, tanto em Porto Velho como em todo o estado. Destacou a importância da colaboração da CVN, que pode ajudar a captar profissionais para atuarem junto à Prefeitura na oferta por assistência social, prestação de serviços de psicológicos e de muitos outros. Além disso, espera-se também o apoio para a obtenção de alimentos, água, remédios e diversos outros elementos essenciais.

Fonte:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Publicado em 16/04/2014 15h22 - Atualizado em 16/04/2014 15h24

A CRUZ VERMELHA BRASILEIRA adere a campanha "Piscina + segura" da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático.

 
A Campanha tem como objetivo conscientizar a população para cinco atitudes seguras que ajudam a diminuir o número de afogamentos em piscina, que hoje já chega a 53% dos casos de óbitos de afogamento na faixa etária de 1 a 9 anos de idade.
 
Você também pode fazer parte dessa campanha. Para melhores informações, visite o site da SOBRASA. 
 

 

Socorristas da Cruz Vermelha Brasileira apoiam o "Dança Pará Festival 2013".

Fonte: cvpa.org.eventos@gmail.com 
 

A Cruz Vermelha Brasileira atuou com cerca de 50 voluntários, preparados para prestarem um pronto atendimento emergencial, na última temporada do "Dança Pará Festival 2013" que reuniu dezenas de companhias de dança, em Belém, no período de 14 a 19 de dezembro.

 

A 22ª edição do evento teve apresentação no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas e em outros espaços culturais da cidade e reuniu centenas de bailarinos, coreógrafos, diretores, técnicos e amantes da dança, vindos de vários lugares do Brasil.

 

Em 2013, o festival ofereceu aos participantes cursos da dança na atualidade, com informações sobre a linguagem técnica, além de experiências práticas e teóricas. O objetivo foi contribuir com a valorização dos profissionais, estimular o desenvolvimento socioeducativo e promover um intercâmbio efetivo.

 

 “A contribuição dos socorristas da Cruz Vermelha em eventos como este favorece no caso de ocorrência de algum trauma, entre os bailarinos ou qualquer outro tipo de acidente sujeito a locais de grande concentração de público, como este que ocorre na cidade”, destaca Carlos Moraes, Coordenador do Departamento Estadual de Gestão de Risco e Desastres da Cruz Vermelha Paraense.

Cruz Vermelha Brasileira participa de Comissão Organizadora que reúne esforços para as etapas preparatórias da 2ª Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil

 

Membros estarão em Brasília amanhã (17) para discutir estratégias de mobilização social

 

Brasília-DF, 16/12/2013 – A Comissão Organizadora Nacional da 2ª Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil (2ª CNPDC), a qual a Cruz Vermelha Brasileira faz parte,  se reúne nesta terça-feira (17), em Brasília. O evento terá a participação do secretário Nacional de Defesa Civil, Adriano Pereira Júnior.

Na segunda reunião do grupo, a comissão discutirá estratégias de mobilização para as etapas preparatórias da 2ª CNPDC, especialmente as municipais, que estão em andamento até o dia 15 de março. 

Novo processo de mobilização e consulta, a 2ª Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil promove a participação, o controle social e a integração das políticas públicas relacionadas à Proteção e à Defesa Civil. Coordenada pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, do Ministério da Integração Nacional e a proposta é definir princípios e diretrizes para a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil, com a participação das sociedade civil, órgãos municipais e estaduais de defesa civil e por conselhos profissionais, comunidades científica e órgão do governo federal.

Para isso, serão realizadas diversas etapas por todo o país, divididas em: municipais, estaduais, distrital, livres, virtual e etapa nacional. A previsão é que 1,8 mil pessoas participem da Conferência Nacional. Destas, esperam-se 1,7 mil delegados, dentre agentes de Defesa Civil, representantes da sociedade civil, da comunidade científica e dos conselhos profissionais e de políticas públicas.

A reunião será realizada nas instalações do Centro Nacional de Gerenciamento de Risco e Desastre (Cenad), das 10h às 18h. O encontro também dará continuidade aos encaminhamentos da primeira reunião da comissão, realizada no início de novembro. A etapa nacional da 2ª Conferência está marcada para 27 a 30 de maio, em Brasília.

FONTE: Secretaria Nacional de Defesa Civil - SEDEC/MI

http://www.2cnpdc.mi.gov.br

 


Uma homenagem a Nelson Mandela



06-12-2013 Declaração oficial 

Declaração oficial do presidente do CICV Peter Maurer sobre a morte do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela. 

É com grande tristeza que tomei conhecimento da morte de Nelson Mandela, no dia 5 de dezembro, aos 95 anos. Em nome do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, gostaria de expressar os meus mais sinceros pêsames à sua família e aos seus amigos. 

Madiba – o seu nome de clã xhosa – permanecerá nas nossas mentes como o mais amável, altruísta, solícito e comprometido dos homens. 

Mandela foi reverenciado justamente pela sua dedicação à mudança pacífica e ao respeito ao Estado de Direito. A sua aversão à injustiça formou as bases para os seus esforços para resolver conflitos sem vingança ou derramas de sangue, e para o seu apoio às políticas moderadas na África do Sul pós-apartheid. 

Os delegados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha que visitaram Mandela de 1967 a 1986, primeiro em Robben Island, depois no Presídio de Pollsmoor após a sua transferência em 1982, ficaram maravilhados com a sua força e determinação e com a sua vontade de ajuda os outros internos. 

Mandela será lembrado não somente pelos seus inúmeros serviços ao povo da África do Sul, mas também como um exemplo para o mundo todo. 

Peter Maurer, presidente do CICV

 

 

5 DE DEZEMBRO - DIA INTERNACIONAL DO VOLUNTARIADO

A Cruz Vermelha Brasileira vem agradecer o empenho e parabenizar a todos os seus voluntários e voluntárias por mais essa passagem de data tão especial.

Dentro de seus sete Princípios Fundamentais, o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho agrega o princípio do VOLUNTARIADO que é essa força motivadora que vem impulsionando as ações humanitárias, há 150 anos no mundo e a 105 anos no Brasil .

Brindemos a saúde de todos os voluntários e todas as voluntárias que se dedicam a ajudar pessoas em condições vulneráveis, em qualquer parte ou em qualquer país, com exemplo de amor, sejam em momentos de conflitos, desastres, ações sociais, ou de outras maneiras, de forma operacional ou administrativa.

Feliz Dia - do Orgulho de Ser - Voluntário!

 Porque temos muito orgulho de ser Cruz Vermelha!

Diretoria Nacional

 

05/12/2013 12h51 - Atualizado em 05/12/2013 12h51

 

Cruz Vermelha Brasileira celebra

 

 

105 anos

 

 

de contribuição para a saúde

 

Estima-se em 20 mil o número de voluntários cadastrados no território nacional

Voluntários da Cruz Vermelha salvando vidas (Foto: Divulgação/ CVB)Voluntários da Cruz Vermelha em ação (Foto: Divulgação/ CVB)

Após testemunhar e se maravilhar com a ação da Cruz Vermelha em outros países, o doutor Joaquim de Oliveira Botelho decidiu fundar e ver funcionando no Brasil um movimento internacional humanitário independente com o objetivo de proteger a vida. A partir do desejo de Joaquim foi fundada, em 5 de dezembro de 1908, a Cruz Vermelha Brasileira (CVB), completa 105 anos de fundação, e tece como primeiro presidente Oswaldo Cruz.

A instituição é constituída com base nas convenções de Genebra e nos princípios fundamentais da Cruz Vermelha: humanidade, imparcialidade, neutralidade, independência, voluntariado, unidade e universalidade. De acordo com o Secretário Geral da Cruz Vermelha Brasileira, Paulo Roberto Costa e Silva, atualmente, a CVB está distribuída em quase todo o território nacional (exceto no Acre, Amapá, Piauí, Roraima e Rondônia) por meio de 23 filiais estaduais, e estima-se em 20 mil o número de voluntários cadastrados em todo o território nacional. A Cruz Vermelha atua em 187 países e conta com 97 milhões de voluntários ao redor do mundo.

“A força do nosso trabalho reside no voluntariado, que atua na prevenção e resposta a desastres, na prevenção de doenças, assistência social, no socorro de emergência às vítimas de calamidades, na qualificação dos voluntários, no direito humanitário, na captação de recursos e doações para pessoas e comunidades necessitadas. Em resumo, em todas as áreas em que seja possível aliviar o sofrimento das pessoas”, explica o Secretário Costa e Silva.

Quando não há calamidade a CVB atua nas campanhas de prevenção de riscos e desastres; realiza convênios com instituições públicas e privadas; desenvolve projetos na área de saúde e da assistência social; faz a gestão de hospitais, de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e do programa saúde da família; desenvolve cursos livres e cursos técnicos de enfermagem; recebe doações e as encaminha às comunidades carentes, desenvolve campanhas especiais diversas, tais como campanha do agasalho ou campanha de arrecadação de brinquedos para o Natal e oferece cursos de qualificação, seminários e treinamentos de desenvolvimento e ações humanitárias. A instituição apoia ainda, grandes eventos como competições desportivas, jornada mundial da juventude, Círio de Nazaré, verão nas praias, e muito mais.

CVB (Foto: Divulgação/ CVB)Voluntária da Cruz Vermelha em ação no lixão 
de São Gonçalo, RJ (Foto: Divulgação/ CVB

De acordo com o secretário Costa e Silva, para ser voluntário da CVB é preciso ter vocação para servir. “Ser voluntário é um estado de espírito. É ter coragem, desprendimento, vontade de ajudar e altruísmo. É preciso estar sempre pronto para atender a qualquer chamado, quando e onde se fizer necessário atuar em defesa da vida”, explica. Para participar do quadro de voluntários da CVB basta procurar uma das unidades e se cadastrar. A pessoa selecionada passará por uma entrevista e realizará um treinamento básico, para que, no final, seja assinado um termo de adesão de voluntário.

Já quem tem interesse em fazer doações, basta procurar uma das sedes Estaduais, Municipais ou em outros locais indicados, ou, no caso de doações em espécie, nas contas indicadas nos sites das unidades de CVB em todo o Brasil. Outras informações  poderão ser buscadas no site da Cruz Vermelha Brasileira ou nos sites das filiais nos Estados. De acordo com o secretário Costa e Silva, para comemorar o aniversário de fundação, serão realizadas cerimônias no Órgão Central e em todas as filiais para prestar homenagem a pessoas e instituições que se       voluntariaram ou contribuíram de alguma forma com a CVB.

  http://redeglobo.globo.com/globocidadania/noticia/2013/12/cruz-vermelha-brasileira-celebra-105-anos-de-contribuicao-para-saude.html

 

Visita ao Secretário Estadual de 

 

 

Transporte do Rio de Janeiro

 

A presidente da Cruz Vermelha Brasileira, Rosely Sampaio e comitiva esteve em audiência, nesta terça-feira – 2 de dezembro, com o Secretário Estadual de Transporte do Rio de Janeiro, Deputado Júlio Lopes para conversas referente a projetos relacionados ao Metrô na Praça Cruz Vermelha e a capacitação, em parceria com o DETRAN, para motociclistas.

Sobre o Metrô, falou-se a respeito de um antigo projeto da cidade do Rio de Janeiro referente a linha-2 que liga as estações Estácio e Carioca, passando pela área da Cruz Vermelha. A instituição defende que a Estação deve ser projetada e construída na Praça Cruz Vermelha, preparada com as políticas de acessibilidade para deficientes, cuja implementação permitirá o atendimento pleno a demanda que representa um fluxo de 300 mil passageiros/dia, nesta malha metroviária, principalmente no atendimento aos pacientes das redes hospitalares do local, como INCA, INTO e Instituto do Cérebro.

Sobre os projetos de capacitação, a Cruz Vermelha Brasileira, através da filial Rio de Janeiro apresentará uma proposta de trabalho para a Escola Pública de Trânsito, em parceria com o DETRAN/RJ, para qualificação de motociclistas profissionais em Primeiros Socorros, Álcool e Drogas, Prevenção de Acidentes, Segurança Viária e Direção Defensiva, no interior do estado.

Ao final da Visita o Secretário Júlio Lopes presenteou a Presidente Nacional com o Marco Rio Estado da Bicicleta. 

Cruz Vermelha Brasileira retoma sua participação em Assembleia Geral Da Federação Internacional Da Cruz Vermelha

Com a presença de representantes de 186 Sociedades Nacionais, durante a semana de 10 a 20 de Novembro, foi realizada em Sidney, Austrália, a XIX Assembleia Geral da Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho – FICV. A delegação Brasileira foi composta pela Presidente Nacional, Rosely Sampaio, pelo Gestor do Departamento Nacional de Juventude, Thiago Quintaneiro e pelo Assistente do Centro de Memória e Documentação, Hércules Silva.

O evento iniciou com a Conferência Global de Juventude e teve como ponto fundamental, dar prosseguimento ao último encontro em Viena, onde jovens delegados de mais de 70 SN discutiram sobre o que queremos e o que entendemos por juventude no Movimento. A Conferência foi focada no entendimento, aprovação e preparo para a implementação do Y.E.S  -Estratégia para o Envolvimento da Juventude, que foi aprovada na Assembleia Estatutária para implementação dentro do movimento. “Na nossa Sociedade Nacional pretendemos implementar o YES como uma ferramenta de renovação do quadro de voluntários jovens, fortalecendo ainda mais a integração da juventude no envolvimento da missão humanitária da Cruz Vermelha Brasileira”, informou Gestor Nacional de Juventude, Thiago Quintaneiro. 

Em encontros paralelos ao evento, a Presidente da CVB, Rosely Sampaio, reuniu-se com o Presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), Sr. Peter Maurer, com membros da Comissão de Finanças da FICV e com membros do Comitê de Cumprimento e Mediação.

 

 

 “O presidente do Comitê Internacional mencionou a sua satisfação no retorno da participação ativa da Cruz Vermelha Brasileira, após quatro anos de ausência, nas reuniões internacionais e também durante o evento as  foram várias manifestações de apoio e palavras de incentivos das Sociedades do mundo inteiro a respeito do grande esforço nas ações depreendidas pela atual gestão, com o evidente envolvimento das Filiais, no processo de reestruturação da Sociedade Nacional Brasileira”, ressaltou a Presidente Nacional, Rosely Sampaio.

A presidente Rosely Sampaio também se reuniu com a presidente da Cruz Vermelha Chinesa, com o Vice Presidente da Cruz Vermelha Americana, com o Secretário Geral da Cruz Vermelha Alemã para tratarem do apoio e experiência que estas três entidades querem dar a sua irmã brasileira durante a Copa do Mundo e nas Olimpíadas de 2016.

Ocorreram reuniões com presidente e representantes de Juventude da Cruz Vermelha das Américas para reativação da Rede de Juventude da América do Sul e de representantes das SNLP - Sociedades Nacionais de Língua Portuguesa, para discutirem assuntos pertinentes ao fortalecimento dessas SNs.

A CVB também manteve durante todo o período do evento um stand na Feira Internacional intitulada Aldeia Humanitária, onde pode apresentar vídeos fotos e publicações suas ações em nível nacional para todo o público do Movimento e convidados, presente no local. 

Cruz Vermelha Brasileira lança campanha de ajuda humanitária para afetados por tragédia nas Filipinas

12/11/2013 09:00

A Cruz Vermelha Brasileira - RJ, no cumprimento de sua missão de ajuda humanitária está lançando uma campanha de doação para as vítimas do Tufão nas Filipinas.

 

Foto: http://www.ifrc.org/en/

Segundo o site da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho o Departamento de Assistência e Desenvolvimento Social estima que mais de 5,4 milhões de pessoas foram afetadas pelo temporal em 40 províncias. A cidade de Tacloban foi a mais atingida, com tempestades que empurrou a água muito longe da costa, ondas chegaram a três metros de altura.

Foto: http://www.ifrc.org/en/

Uma conta foi disponibilizada para doações, o que facilita a ajuda no país afetado, já que o transporte de doações é demorado e não depende só do deslocamento e sim de toda uma infraestrutura de logística no envio e recebimento de donativos.

 

A conta para quem quiser ajudar as vítimas da Tragédia é:

Caixa Econômica Federal

Agência: 2912

Conta: 2000 - 0